27.5.15

Pára-me de Repente o Pensamento

Inspirado num poema de Ângelo Lima, ´Pára-me de Repente o Pensamento', é o título de um documentário de Jorge Pelicano (Miguel Borges procura a sua personagem para uma peça de teatro, submergindo no mundo interior dos esquizofrénicos, no Hospital Conde de Ferreira, no Porto).
Vi umas imagens e os diálogos entre os intervenientes (pacientes do hospital) prenderam-me ao ecrã... pesquisei e encontrei um trailer que começa por: "Que tem veia de doido: aveado"... estão a fazer umas Palavras Cruzadas que eu criei para o JN (8-11-2013)... fiquei comovido, claro... Obrigado, Universo!

Palavras Cruzadas JN Paulo Freixinho

Ligações relacionadas:

Amplexos e ósculos!...

Nota:
Com o AO é «para-me»... mas para o caso pouco importa... ;-)

24.5.15

8 anos de blogue

Este meu «querido» blogue comemora hoje o seu 8.º aniversário... Parabéns!
O trabalho sazonal está a ocupar-me bastante tempo pelo que apenas consegui criar uma revista em jeito de "cartão de visita"... a revista termina com um link que dá acesso ao blogue:

+ de 1100 posts
480 passatempos publicados
+ de 1 200 000 visualizações



Amplexos e ósculos!

22.5.15

É divertido e ganha-se muito bem

Segundo este artigo sobre profissões divertidas e nas quais, provavelmente, "nunca pensei", um «escritor» de Palavras Cruzadas ganha 63 mil euros por ano.

Ok... caros clientes, preparem-se... ;-)

Amplexos e ósculos!...

18.5.15

Estabelecer paz ou harmonia

A
A parte mais baixa do interior do navio, onde as águas se juntam e se corrompem: Sentina
Alcoviteira: Lena
C
Colchão de origem japonesa, mais ou menos espesso, constituído por algodão em camadas: Futon
D
Diabo (por eufemismo, pop.): Dianho
Dito breve e memorável de pessoa ilustre: Apotegma
E
Estabelecer paz ou harmonia: Pazear
I
Indicativo de um andamento apressado, na execução musical: Vivace
Índios de pequena estatura que ocupavam a parte Leste do Brasil e a região central da América do Sul: Tapuias
Injuriar: Doestar
Irritar: Acerbar
M
Medida da desordem de um sistema (Física): Entropia
Moeda da Etiópia: Birr
P
Porção de linho, antes de assedado, atado de forma que parece uma boneca: Adeito
R
Rendoso (fig.): Chorudo
T
Tolice: Toleima
V
Vazio: Inane

13.5.15

Terminou o período de transição

Respeito todos aqueles que recusam seguir as "novas" regras, eu optei por evitar a utilização das palavras com nova grafia nos meus passatempos... em 2011 isso já tinha acontecido no livro "Palavras Cruzadas com Literatura", publicado pela Quetzal... e assim continuará a ser, sempre que possível.

Segui o AO a partir do momento que o mesmo foi aplicado nas escolas e em alguns jornais e revistas para os quais trabalho (o que não foi bem aceite por algumas pessoas, eu sei, mas não poderia ser de outra maneira)... rapidamente percebi que o melhor seria evitar as palavras que mudam... longe de mim arranjar "inimigos" e afastar as pessoas das Palavras Cruzadas.
O AO tem algumas coisas positivas, aproximar a grafia utilizada pelos países lusófonos é positivo... mas há, obviamente, regras com as quais não concordo, por exemplo, «para», sem acento, dificulta (e muito) a leitura... mas, como disse, não a utilizo (e esta pode ser facilmente substituída por outras palavras).

O AO, carece de uma revisão, sim... mas há outras "coisinhas" que estão a prejudicar a língua portuguesa... por exemplo: a utilização do inglês... não só nas Redes Sociais, aparece já em muitas das "nossas" expressões diárias... isso, sim, deixa-me muito preocupado...

...e fico-me por aqui pois tenho mais que fazer... ;-)

Amplexos e ósculos!...

10.5.15

Lisboa Capital República Popular: “Independências”

Já um pouco tarde, refiro esta participação no jornal Lisboa Capital República Popular, sob o tema: Independências e com coordenação editorial de Bruno Vieira do Amaral.
O Bruno lembrou-se de mim e eu fico-lhe grato pela oportunidade de levar as Palavras Cruzadas para a sétima edição do LCRP.

Paulo Freixinho

Refira-se que o design do jornal é da autoria de Paulo Arraiano.

Ligações relacionadas:

Amplexos e ósculos!...

6.5.15

Xurdir, na Lourinhã

As palavras que se seguem irão tentar descrever o quão bom foi ter participado no Livros a Oeste, na Lourinhã.
Antes da partida, lá tive de acordar de madrugada para fazer um trabalho que estava em falta... trabalho feito, enviado, banho tomado, barba aparada, dentada numa fatia de pão e ala, que se faz tarde! Uma hora e pouco depois estava na Lourinhã.
Estaciono o carro (o único do mundo que tem um autocolante do Bon Sauvage) e pergunto à primeira pessoa que encontrei:
"- Bom dia! Sabe dizer-me onde fica o Auditório do Centro Cultural Dr. Afonso Rodrigues Pereira?"
"- Venha comigo que eu vou para lá."
(o mundo é pequeno)
"- Não me diga que é professora e vai estar na sessão de Palavras Cruzadas!"
"- Vou."
(o mundo é pequeno, mesmo)
"- É ali!"
"- Então já nos encontramos, até já!"
Chego ao local e já lá estavam a Silva Alves (escritora, a Bruxinha) e a Maria José Pereira (editora da Verbo/Babel)... íamos apresentar o Sabe Mais k(que) os teus Pais... mesmo sem o termos em papel.
A SIC já lá estava para filmar a sessão... uau!
Fui muito bem recebido pelas pessoas da câmara. Comecei por conhecer o auditório, confirmar se tinha tudo o que era necessário (um quadro para escrever e acesso à internet)... tinha.
Pouco depois, apareceram duas professoras que fizeram questão de irem assistir à sessão (é sempre bom passar do virtual para o pessoal).
Eis que chegam as crianças: 95 das escolas escolas básicas da Marteleira e Cabeça Gorda (3.º e 4.º anos mas disseram-me depois que estavam também de anos inferiores).
Começámos.
Apresentações de autores, editora e blogue e fomos então para as Palavras Cruzadas ao vivo.
Começam timidamente a quererem ir ao quadro... depois de constatarem que afinal não custa nada, acabam todos a querer ir ao quadro... é sempre assim.
Para quem não sabe, as Palavras Cruzadas do Sabe Mais k(que) os teus Pais tem a particularidade de ensinar uma palavra mesmo difícil; neste caso tinha duas palavras para ensinar: uredo e xurdir.
Foi a partir da palavra «uredo» que tive a ideia de criar um blogue de Palavras Cruzadas para crianças, começámos por essa.
Tinha falado da palavra nas apresentações mas não tinha dito qual o seu significado... iam conhecê-lo no passatempo.
"- Sinónimo de comichão, qual será?"
"- Uredo!" - disseram prontamente uns quantos alunos... ehlá! :-)
No segundo passatempo, tínhamos a "tal" palavra...
"- E aqui, temos então a tal palavra difícil, que, provavelmente, nem os vossos pais a conhecem: fazer pela vida... que palavra será?".
"- Lutar!... Trabalhar!" - disseram.
"- x-u-r-d-i-r..." - alguém disse, timidamente...
(fiquei incrédulo)
"- Repete lá!"...
"- Xurdir..."
...
Foi, obviamente, o momento do dia... não o esquecerei tão cedo... uma criança conhecia a palavra «xurdir»... Lindo!
(Senhora professora, esta sua aluna merece, só por isto, nota máxima a Português!)
...
Disse-lhe prontamente que, no final da sessão, iria ganhar um prémio... dei-lhe um simples crachá do Sabe Mais k(que) os teus Pais (feito pela Maria Del Toro, a ilustradora)... ela gostou... eu adorei... fiquei mesmo Feliz!
...
E, como tudo o que é bom acaba depressa, eis que terminava a minha participação nos Livros a Oeste.
No final ainda conheci pessoalmente a jornalista Rita Pimenta (Letra Pequena/Público).
Houve depois tempo para uma longa e agradável conversa com o casal de livreiros responsáveis pela Feira do Livro do evento (até vendi uns quantos exemplares do Palavras Cruzadas com Literatura).
Vim com livros do autor de romances históricos Miguel Real (que também conheci pessoalmente) e um saco cheio de lembranças e informação sobre a Lourinhã.
Vim mais rico, mesmo.
Obrigado, João Morales, pelo convite e pela possibilidade de, mais uma vez, mostrar um lado lúdico das Palavras Cruzadas... as crianças adoram, mesmo!
Há, agora, que aguardar pela edição em papel do Sabe Mais k(que) os teus Pais, programada para o início do próximo ano escolar... já falta pouco.

Acho que não me esqueci de nada... 

Paulo Freixinho

Amplexos e ósculos!...


Para mecenas

Pesquisa personalizada