Faço as Palavras Cruzadas do... (pode escolher múltiplas respostas):

15.6.08

Diferença entre vêem e vêm

Nas costas dos outros se vêem as nossas

O provérbio em epígrafe serviu, recentemente, de base à criação de um problema de Palavras Cruzadas para o jornal Público.

Acontece que muitos dos sites existentes na Internet sobre provérbios indicam esse provérbio como:
Nas costas dos outros se vêm as nossas.
Como diz o Ricardo Araújo Pereira num sketch do Gato Fedorento:
"-Tá Male... tá errado!"

A grafia da 3.ª pessoa no presente do indicativo dos verbos "ver" e "vir" constitui uma das dúvidas da língua portuguesa mais frequentes.

Vêem refere-se ao verbo "ver" enquanto que vêm refere-se ao verbo "vir".

Já que estamos em pleno Euro 2008, deixo os seguintes exemplos:
Eles vêem os jogos pela televisão e quando os jogadores da Selecção regressarem a Portugal... com a taça... eles vêm de avião.

Um dos truques utilizados é comparar os dois "ee" de vêem a dois olhos... trata-se do verbo ver, portanto, ver... olhos... dois "ee".

Deixo agora um link para uma página sobre este tema e que disponibiliza uns exercícios muito úteis para tirar, de uma vez por todas, as dúvidas existentes.
http://www.eb23-cmdt-conceicao-silva.rcts.pt/sev/lp/2.1.ort7.htm

Nota: Com a entrada em vigor do Acordo Ortográfico, a grafia da forma verbal vêem perde o acento e muda para: veem.

Um abraço,
Paulo Freixinho

4 comentários:

  1. Um dos truques utilizados é comparar os dois "ee" de vêem a dois olhos... trata-se do verbo ver, portanto, ver... olhos... dois "ee".
    Truques são excelentes formas de memorização e aprendizado.

    ResponderEliminar
  2. Eliete,
    obrigado pelo comentário!

    Chama-se a isso mnemónica.

    Um abraço,
    Paulo Freixinho

    ResponderEliminar
  3. Paulo,

    Estes truques de memoria resultam.
    Será que as pessoas como pouco que lêem,desaprenderam a capacidade de escrever correctamente?
    Ou então o excesso de informação cria a iliteracia?

    Abraço amigo,
    joao

    ResponderEliminar
  4. Olá João, obrigado pelo comentário!

    De facto, actualmente, há excesso de informação, boa e má!
    É necessário ter algum cuidado.
    Eu também já cometi alguns erros por confiar nas fontes... não foi este o caso mas se a fonte está errada, irá induzir em erro quem a consultar.

    No entanto, esta dúvida já existia antes da Internet.

    Espero que este post seja útil e já que tanto se fala no "serviço público"... os blogues também têm uma palavra a dizer... felizmente que existem por aí bons recursos para tirar as dúvidas referentes à Língua Portuguesa.

    Um abraço,
    Paulo Freixinho

    ResponderEliminar

Pesquisa personalizada

Para mecenas