Palavras Cruzadas em papel ou digital?

16.9.12

Dignidade

Hoje, se dormi uma hora já foi muito… estive a noite toda a pensar no dia de ontem… emocionado… o Povo português é um povo bom… farto-me de dizer isso às minhas filhas e ontem tivemos mais uma prova disso.

Fui… fui porque não admito – não admito – que uma das soluções para baixarem um défice seja reduzir um ordenado mínimo… e os ordenados que andam perto disso… principalmente por isso.

«Principalmente», porque isto está tudo errado… a ganância de uns está a dar cabo da vida de milhões de pessoas (no mundo)… basta pensar um pouco, fazer umas contas e constatar que uma “simples” redução de juros evitaria o despedimento de muitas pessoas, evitaria cortes cegos… e claro que há alternativas à Troika… “ajudar” é bonito mas ganha-se demasiado dinheiro com a “desgraça” alheia… mas não vou aqui falar de números… “eu é mais palavras”.

Voltando ao dia de ontem.

Foi a primeira vez que participei numa manifestação… foi lindo... foi marcante.
Um ambiente muito bom. Muitas pessoas que, tal como eu, nunca tinham ido a uma manifestação… famílias… muitos carrinhos de bebé.
Gente que “apenas” quer que as pessoas tenham uma vida digna… não tem nada que ver com cores políticas.

Não é preciso violência… não é preciso tapar a cara.

Justiça – Respeito – Dignidade.

Se queremos um país produtivo precisamos de ter as pessoas motivadas.

Tal como, certamente, a maioria dos trabalhadores independentes (muitos, com dívidas enormes à Segurança Social por não terem conseguido suportar aumentos sucessivos das contribuições), farto-me de trabalhar… com gosto… adoro o meu trabalho… mas fico triste quando vejo o que se passa à minha volta.

Na rua estiveram 500 000 pessoas… meio milhão de pessoas, só em Lisboa… e estava um lindo dia de sol… afinal os portugueses mobilizam-se… ordeiramente, pacificamente.

“O Povo, unido, jamais será vencido!”… foi esta a palavra de ordem que mais se ouviu… não são precisos palavrões… é forte o suficiente… comove ouvi-la das bocas de tanta gente, diferentes gerações, diferentes cores políticas (ou mesmo nenhuma cor política).

Dignidade: Princípio moral baseado na finalidade do homem, e não somente na sua utilização como meio (palavra e definição que irão aparecer nas Palavras Cruzadas que farei durante a próxima semana).

Ontem não trabalhei mas ganhei o dia… vim animado, cheio de força para continuar a «xurdir»… vi nos olhos das pessoas «esperança»… agora, o Governo (qualquer Governo) que não estrague este sentimento.



Amplexos e ósculos!...

2 comentários:

  1. Sabes, também nunca me tinha imaginado na rua a gritar "o povo unido jamais será vencido"... :-)

    ResponderEliminar

Pesquisa personalizada

Para mecenas