11.3.19

Uma biografia em forma de poesia

Uma biografia em forma de poesia é a primeira vez que me acontece:

Lisboa, 68, nasce Paulo Freixinho.
Vai xurdir para o Barreiro,
Que se torna o seu cantinho.

O artesanato, a música e a pintura
Fazem vibrar os seus dias.
Que o digam os “Bon Sauvage”
Com quem toca melodias.

Encanta-se pelas palavras,
Toca-as, vive-as, de mãos dadas.
Sabe-se que é hoje o pai
De muitas palavras cruzadas.

Nos jornais, nas revistas ou na Net,
Lá xurde e se faz presente.
O saber e a literatura
São trabalho algo imponente.

Os livros: a inspiração;
Xurdir: a palavra de eleição;
O jogo: uma alegria constante,
Um aprender a todo o instante.

Por: Maria Curado (Professora)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pesquisa personalizada

Para mecenas